Os Portos > Datados

Colheita

Estes são provavelmente os Vinhos do Porto mais apreciados na nossa Casa. Os Portos do tipo Colheita são provenientes de um só ano de elevada qualidade, tendo que passar no mínimo sete anos em madeira. Por via de regra só são engarrafados imediatamente antes de serem vendidos, o que pode suceder muito após o sétimo ano. Por esta razão, as nossas Colheitas permanecem em madeira durante um londo período, e adquirem ao longo do tempo uma côr de mogno característica dos Tawnies velhos, bem como um bouquet fino e complexo, notas de nozes e avelãs e uma textura sedosa. 

Durante o estágio em madeira estão sujeitos ao controle qualitativo do Instituto dos Vinhos do Douro e Porto. Por outro lado, depois de engarrafados têm que indicar na rotulagem o ano de produção e o ano de engarrafamento. O risco de formarem depósito no fundo da garrafa é pequeno, já que o mesmo ficou retido, na sua maior parte, na vasilha de madeira onde o vinho estagiou. Depois de aberta a garrafa, não é obrigatório bebê-la na totalidade no mesmo dia - basta rolhá-la bem, podendo ser mantida longamente nessas condições. Numa próxima vez em que for reaberta, oferecerá ao consumidor um aroma e sabor de delicadeza praticamente intacta.

Disfrute de um Porto Colheita no final da refeição com queijos cremosos como Brie e Camembert ou com queijo da Serra. Acompanhe-o também com castanhas assadas ou creme queimado. Se for fumador, não perca a oportunidade de o saborear com um bom charuto.
 

Colheita

VINTAGE E LBV

Os Vinhos do Porto Vintage são provenientes de um só ano e possuem características organolépticas excepcionais, apresentando côr retinta, uma sólida estrutura e aromas e sabores intensamente frutados. São engarrafados dois anos após a vindima e na maior parte dos casos amadurecem muitos anos na garrafa. Esta forma de envelhecimento retira-os à influência do ar, do que resulta uma perda de côr muito mais lenta e a possibilidade de conservarem os seus típicos aromas frutados. Para manterem toda a sua riqueza de extracto e côr não são sujeitos a colagens e filtrações, pelo que vão criando, ao longo do tempo, um enorme depósito. Assim, devem ser decantados antes de serem servidos. Depois de aberta, a garrafa de um Vintage deve ser bebida no próprio dia, tendo em vista manter intacta a excepcional qualidade. Os Vintages são vinhos para apreciar ao fim de uma refeição, com queijos como Stilton, Gorgonzola ou o português Queijo da Serra. Contudo, pode também inseri-los numa refeição, acompanhando por exemplo um Steak au Poivre com um Vintage jovem. 

A Wiese & Krohn produz Vintages a partir de uvas produzidas na sua própria Quinta ou com base em uvas originárias de outras Quintas. Os primeiros são comercializados sob a marca Quinta do Retiro Novo; os últimos são colocados no mercado sob a marca Krohn.

Os Late Bottled Vintages (LBV) são também vinhos de um só ano. O seu nível de qualidade é elevado, com uma boa côr e estrutura, aroma e sabor delicados, mas contrariamente aos Vintages amadurecem em casco entre quatro a seis anos e são depois engarrafados. Em consequência deste processo de envelhecimento podem ser bebidos mais cedo do que os Vintages.

Os LBV's da Wiese & Krohn não são consertados nem filtrados e podem por isso criar depósito na garrafa. Recomendamos que sejam decantados antes de serem servidos.

Os Late Bottled Vintages são Vinhos do Porto acessíveis, com boa fruta e que devem ser tomados no final da refeição com queijo, melão e tortas várias (maçã, frutos vermelhos). 

VINTAGE E LBV
VINTAGE E LBV
> VER OS PORTOS NÃO DATADOS